© Constellações - O Olho do Dragão

Shiwi-Zuulééiei

Shiwi-Zuulééiei - A Região dos Dragões, na lingua humana.


Existem três castas de dragões entre os que habitam Trae, elas são: i) Bieiwi; ii) Shiei; iii) Iavu Iawi; A cultura entre essas castas é tão diferente que os dragões consideram os membros de outra casta como seres diferentes, tendo apenas a semelhança fisiológica. Essa semelhança fisiológica também não é muito próxima, pois existem elementos e condições climáticas em Trae que são naturais a uma casta e mortais para alguns membros de outra.

Bieiwi (cor):


A casta dos dragões Bieiwi é a que possui maior população, composta por dragões Éizi, Luei, Éibi e Suei (azul, bronze, branco e vermelho na lingua humana) os Bieiwi vivem em comunidades grandes, próximo ao oceano ou em áreas florestais. Individualmente cada Bieiwi é mais fraco que qualquer membro das outras castas e sua força encontra-se nos números.


Por essa razão a casta foi criada, para que cada membro dela pudesse gozar da segurança de pertencer a um grupo e uma forte ligação entre eles se formou por causa disso. Um segundo motivo que uniu os Bieiwi foi o fato de que todos eles desejam levar uma vida sem responsabilidade, desejam apenas dormir, brincar com o que a natureza lhes oferece e comer.

Como não buscam nenhum tipo de desenvolvimento para a sua comunidade, os Bieiwi não possuem muitos problemas para resolver e possuem muito tempo livre. O único real problema que preocupa esta casta é o crescente número de sua população, apesar da tradição não permitir que os dragões tenham relacionamentos amorosos com diferentes Bieiwi (dragões de cor diferente), o que geraria um dragão impuro, a taxa de natalidade é muito alta o que gera escassez de alimentos.


A fome foi o motivador que levou os Bieiwi a aceitar negociar com humanos e com outras castas, em troca de alimentos os Bieiwi fornecem diversas informações e até mesmo Rutugis (olhos) de dragões mortos para humanos, Shiei e Iavu Iawi. Apesar dessa prática não ser aceita por muitos Bieiwi, a casta inteira concorda que é a única forma de sobreviverem nos dias atuais.
 

A crença dos Bieiwi é de que o Shiwi-Rutugi (Olho do Dragão) é o que mantém o espírito do dragão morto no Mundo Espiritual e a família do dragão morto deve cultivar o olho até que o espírito do dragão termine sua jornada no Mundo Espiritual e torne-se um com a Natureza de Trae. Isto ocorre quando, após diversas sessões de meditação por parte da família, o Shiwi-Rutugi toma uma forma sólida e assume a cor de seu nascimento.
 

Mesmo após essa transformação, as famílias costumam manter o Shiwi-Rutugi de seus antepassados em um local de destaque e admiração próximo de onde vivem. Assim todos podem prestar suas homenagens ao dragão morto.

Shiei:
 

Eventualmente ocorre um relacionamento proibido entre os Bieiwi, o que gera o nascimento de um Shiei (dragão dourado). Isto é considerado um pecado e os pais são severamente punidos, enquanto que o filho é banido e enviado para viver com os outros da casta dos Shiei. Todos os Shiei são filhos bastardos da casta dos Bieiwi.
 

Os Shiei sempre foram tratados como uma doença e uma demonstração de vergonha para os Bieiwi, mas a reclusão fez com que os Shiei desenvolvessem habilidades psiquicas que os Bieiwi nunca compreenderam. Através da profunda meditação e dedicação à natureza, os Shiei encontraram a sua forma de viver e passaram a desenvolver a própria cultura, ao invés de buscar a aprovação de seus pais.


Por causa de seu passado, os Shiei se tornaram uma casta extremamente unida e procuravam ajudar uns aos outros em tudo, todos se consideram irmãos e protegem a si mesmos dessa maneira. No entanto, quando os humanos invadiram a Shiwi-Zuulééiei e começaram a atacar os Bieiwi, os Shiei ficaram divididos e brigaram entre si. Alguns defendiam que eles deveriam ajudar os Bieiwi, enquanto outros eram contrários a isso.

Os Shiei voltaram a se unir completamente quando dois jovens Shiwi-Shiei foram mortos pelos humanos, os pais Bieiwi destes Shiwi ainda estavam vivos e eles foram até a frente de batalha para ajudar a proteger seus pais. Porém, apesar de talentosos, os dois Shiei não contavam com o suporte dos outros Bieiwi e acabaram mortos pela investida humana.
 

Essa tragédia trouxe grande dor para toda a casta dos Shiei, mas também encerrou as disputas e todos marcharam juntos para combater os humanos. O reforço inesperado conquistou a gratidão e o respeito dos Bieiwi, e após os humanos fugirem os Shiei foram convidados a viver mais próximos das comunidades dos Bieiwi. Essa proximidade trouxe benefícios, mas também malefícios para ambas as castas.


Ambas se sentiam mais seguras, mas a cultura entre elas era muito diferente e o preconceito se formou, principalmente por causa do tratamento que os Shiei davam ao Shiwi-Rutugi. Entre suas técnicas psiquicas, os Shiei encontraram um modo de aumentar o poder de seus feitiços absorvendo a energia natural que se concentra no Shiwi-Rutugi e isso faz com que o mesmo assuma uma cor negra.

Para os Bieiwi isso é um pecado abominável e diversos conflitos ocorreram entre essas duas castas por esse motivo, mas tudo é deixado de lado pelo medo de terem de enfrentar os humanos novamente algum dia.
 

Iavu e Iawi:
 

A casta dos Iavu e Iawi é quase uma lenda entre as outras duas castas, pois esses Shiwi raramente são encontrados em qualquer parte de Trae. Mesmo quando decidem se mostrar para os outros dragões, não há muito contato, pois as outras duas castas temem os Iavus e Iawis e sua magia.
 

Sempre que fazem contato, esses dragões estão em um trio composto por dois Iavus e uma Iawi e nunca permanecem entre os outros Shiwi por mais do que algumas horas, fato que agrada as outras castas. Iavus são os únicos a se comunicarem com os outros dragões e sempre procuram negociar informações sobre fatos antigos, fatos que ocorreram quando os Shiwi anciões ainda eram jovens, ou mesmo antes do nascimento destes.
 

A verdade sobre os Iavu e Iawi é que eles existem em número maior do que as outras castas supõem, seu número é maior que os Shiei e eles vivem dentro das cavernas que existem nas montanhas congeladas ao extremo sudeste de Trae. Na tradição Iavu Iawi, um trio de jovens dragões é lançado ao mundo para concluir um ritual de passagem para a maioridade, a Eishi, e somente podem retornar para casa, para a Vuwiéi-Zushiéi (terra sagrada) quando completarem o ritual.


Desde que nascem, os Iavu Iawi são treinados para terem uma forte ligação com o Zeshiei-Wivu (mundo espiritual), e praticam essa conexão todos os dias até serem enviados para a Eishi. O treinamento consiste em duas etapas: i) entrar no Zeshiei-Wivu e sobreviver lá dentro; ii) Utilizar seu Qi para lançar feitiços e estabelecer uma comunicação com o Shiwi-Rutugi; Toda a sobrevivência dos Iavu Iawi depende do sucesso dos dragões jovens em sua Eishi.

---

Disponível na Steam